quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Anemia falciforme - Sintomas, Causas e Como acontece a doença


A anemia falciforme é uma doença hematológica e hereditária, adquirida através dos genes alterados de pai e mãe. Essa alteração causa uma deformação nos glóbulos vermelhos deixando-os em formato de foice (por isso o nome falciforme) e enrijecidos, ocasionando o bloqueio da passagem de sangue pelos vasos, e o transporte de oxigênio para os tecidos. 

     O diagnóstico da anemia falciforme se dá através do teste do pezinho realizado em recém-nascidos, e pelo exame eletroforese de hemoglobina.Um exame muito importante durante o pré-natal, pois mesmo que o indivíduo não possua a doença, ele pode apresentar traços falciformes, que podem manifestar-se em seus descendentes.



     Os sintomas mais comuns deste tipo de anemia são:

Crise de dor: Por conta da má oxigenação, gerando dor nas articulações, ossos e músculos, principalmente em períodos menstruais e tempo frio.

Síndrome mão-pé: Se dá pela dificuldade do sangue em chegar nas extremidades, causando inchaço de pés e mãos.

Icterícia: Devido ao rompimento dos glóbulos vermelhos, que liberam um pigmento amarelo no sangue, chamado bilirrubina, que faz com que a pele e o branco dos olhos fiquem amarelos.

Aumento do baço: Por ser o órgão que filtra o sangue, pode acabar acumulando-o, e impedindo que chegue em órgãos como cérebro e coração, podendo levar a morte.

Maior chance de adquirir infecções: Devido ao dano causado no baço, que ajuda a combater infecções.

     O tratamento é realizado pelo uso de medicamentos e o acompanhamento com uma equipe de profissionais, formada por:  médicos, enfermeiras, assistentes sociais, oftalmologistas, dentistas, nutricionistas e psicólogos. Em alguns casos pode ser necessária a transfusão sanguínea. 

     Apesar de ser uma opção pouco viável devido à dificuldade para encontrar doadores compatíveis, o transplante de medula óssea vem a ser uma opção de cura da anemia falciforme. Mas na maior parte dos casos apresentados, a doença não possui cura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário